Post info

Marcadores:


Comments 3


Author: rupereta servindo sempre


Você já se deu conta da grande porção de exemplares da bíblia existente no mercado evangélico? Você já percebeu como é difícil escolhermos um exemplar das escrituras sagradas? Sim, este é um trabalho árduo! O que gostaria de destacar neste pequeno texto, é o que você deveria levar em consideração ao buscar um exemplar das escrituras sagradas.

É sabido de todos que os textos originais da Bíblia Sagrada, foram escrito em Hebraico, Aramaico e Grego [1], sendo assim o que temos em qualquer outra língua, são traduções destes textos originais. O trabalho de cada Sociedade Bíblica é ter um texto claro e mais próximo ao texto original. No árduo trabalho da tradução, seguem-se duas teorias [2]:

1-      A teoria da equivalência formal – sendo este método o mais antigo e tradicional.
“a equivalência formal tem o foco de sua atenção voltado para a mensagem original, tanto em termos de forma quanto de conteúdo. O texto traduzido é constantemente comparado com o original para determinar o seu grau de exatidão. Esse tipo de tradução permite que o leitor se identifique o máximo possível com o leitor do texto original, e compreenda seus costumes, formas de pensar e maneiras de se expressar.” TEORIA DA EQUIVALÊNCIA DINÂMICA VERSUS PARADIGMA FUNCIONALISTA: PONTOS DE APROXIMAÇÃO E DISTANCIAMENTO - Simone Enomoto

2-      A teoria da equivalência dinâmica – sendo este método o mais novo e revolucionário.
“A equivalência dinâmica, por sua vez, é baseada no “princípio do efeito equivalente”. O objetivo desse tipo de tradução não é igualar a mensagem traduzida à original, mas certificar-se de que a relação entre o receptor e a mensagem é a mesma relação que existia entre a mensagem original e seu leitor. A tradução fundada na equivalência dinâmica (ED) busca a naturalidade de expressão, e tenta apresentar ao receptor formas de comportamento relevantes dentro do contexto de sua própria cultura. Dessa maneira, o receptor não precisa conhecer os padrões culturais da cultura fonte para entender a mensagem.Na tradução ED o foco da atenção não está voltado para a mensagem original, como na tradução EF, mas para a resposta do receptor. Uma tradução ED pode ser descrita como “o equivalente natural mais próximo da mensagem da língua fonte.” TEORIA DA EQUIVALÊNCIA DINÂMICA VERSUS PARADIGMA FUNCIONALISTA:  PONTOS DE APROXIMAÇÃO E DISTANCIAMENTO - Simone Enomoto

Você encontrará a teoria da equivalência formal, ou seja, a forma literal de tradução “palavra por palavra” em texto como Almeida Corrigida, Almeida Revista e Atualizada, Almeida Fiel e Bíblia de Jerusalém, estes são textos seguros, a preocupação do tradutor é a exatidão da palavra em nosso idioma.

Você encontrará a teoria da equivalência dinâmica, ou seja, a forma de interpretação “pensamento por pensamento” em textos como a Bíblia Viva, Bíblia na Linguagem de Hoje, Nova Tradução Linguagem de Hoje, estes são textos interpretativos, a preocupação do tradutor está em entender o que o autor escreveu e transmitir esta mensagem, o foco do tradutor está na idéia e não nas palavras.

O texto da NVI tenta ficar entre as duas teorias, o texto é dinâmico e formal, a Sociedade Bíblica Internacional tenta juntar as duas teorias e fazer um texto funcional.

Vejamos alguns exemplos:

Todos os que na terra são gordos comerão e adorarão, e todos os que descem ao pó se prostrarão perante ele; e nenhum poderá reter viva a sua alma. Sl. 22.29 - Almeida Corrigida Fiel.

Todos os opulentos da terra hão de comer e adorar, e todos os que descem ao pó se prostrarão perante ele, até aquele que não pode preservar a própria vida. Sl. 22.29 - Almeida Revista e Atualizada.

Todos os poderosos da terra comerão e adorarão, e todos os que descem ao pó se prostrarão perante ele, os que não podem preservar a vida. Sl. 22.29 – Almeida Século 21

Todos os ricos da terra se banquetearão e o adorarão; haverão de ajoelhar-se diante dele todos os que descem ao pó, cuja vida se esvai. Sl. 22.29 – NVI

Os ricos também comerão à mesa do Senhor e o adorarão. Todos os homens que descem ao pó se curvarão diante dele com os rostos no chão, todos os que um dia vão morrer. Sl. 22.29 – Bíblia Viva

Todos os orgulhosos se curvarão na sua presença, e o adorarão todos os mortais, todos os que um dia vão morrer. Sl. 22.29 - Nova Tradução Linguagem de Hoje

Você pode perceber que os textos que usam a equivalência formal são fieis ao texto hebraico, onde encontramos a palavra Nvd - dashen, esta palavra realmente segundo o léxico de Strong e o léxico de Chavez significa alguém gordo, ela é usada no sentido figurado para alguém que é próspero ou ficou próspero.  A palavra Gordo neste contexto não faz muito sentido para nós brasileiro, pois não trás a idéia de alguém  Próspero,  a idéia do verso não fica  clara,  fica obscura, mas se olharmos o contexto do Salmo 22, o salmista anuncia que chegará um tempo onde até os poderosos (ricos) se prostrarão diante do Messias, isto fica claro nas versões que usam a equivalência dinâmica e funcional , como no caso da NVI,BV e NTLH.

Devemos entender que os dois métodos têm seus pontos fortes e fracos, fiquemos então com a exortação do Professor do Novo Testamento Robert H.Stein :

“O ponto fraco da primeira tentativa é que em idiomas e culturas diferentes nem sempre os vocábulos se equivalem e têm a mesma exatidão. (como por exemplo, a palavra gordo que para nós, tem outro sentido). O modelo de tradução “pensamento por pensamento” (isto é E.D) tem também seus pontos vulneráveis. Isto fica evidente quando procuramos determinar como um autor usa os mesmos termos em lugares diferentes com o mesmo significado.”[3]

As traduções que usam a teoria de equivalência dinâmica têm a tendência de serem muito interpretativa a este respeito escutemos o autor da paráfrase Bíblia Viva que escreveu em seu prefácio as seguintes palavras:

“Há perigos em se fazer paráfrases, assim como há valores. Pois sempre que as palavras exatas do autor não forem traduzidas a partir das línguas originais, existe a possibilidade de que o tradutor, não obstante sua honestidade, possa estar transmitindo ao leitor... algo que o escritor original não quis dizer.”

O Pastor John Piper disse que:

“As paráfrases são valiosas como interpretação, mas não como tradução.”

Não tenha receio de usar um texto parafraseado ele é um ótimo texto para nos acompanhar em nosso momento devocional e também é um auxilio na interpretação das escrituras. Alguns Batistas Fundamentalistas consideram estes textos parafraseados, diabólicos, são textos que fazem parte de uma grande conspiração satânica, para destruir a Igreja de Cristo. Claro que não precisamos ser tão radicais, pois toda tradução é uma paráfrase seja ela dinâmica ou formal.

“Parafrasear é dizer algo em palavras diferentes das usadas pelo autor. É uma nova apresentação dos pensamentos do autor, lançando-se mão de palavras diversas das usadas por ele... o propósito de dizer tão exatamente quando possível o que os escritores da bíblia queriam dizer, e de fazê-lo de maneira simples, detalhando onde necessário, para que o leitor moderno sempre tenha uma compreensão nítida do texto.”[4]

Então fica a pergunta “Qual texto devemos escolher? A minha humilde opinião é, devemos ter os dois, devemos ter o texto dinâmico e parafraseado para nos auxiliar na interpretação do texto sagrado e o formal em sua forma mais literal para estudos exegéticos mais profundos. Um completando o outro. O dinâmico completando o literal e vice – versa.
   
       “Esdras abriu o livro à vista de todo o povo, porque estava acima dele; abrindo-o ele, todo o povo se pôs em pé.Esdras bendisse ao SENHOR, o grande Deus; e todo o povo respondeu: Amém! Amém! E, levantando as mãos; inclinaram-se e adoraram o SENHOR, com o rosto em terra.E Jesua, Bani, Serebias, Jamim, Acube, Sabetai, Hodias, Maaséias, Quelita, Azarias, Jozabade, Hanã, Pelaías e os levitas ensinavam o povo na Lei; e o povo estava no seu lugar.Leram no livro, na Lei de Deus, claramente, dando explicações, de maneira que entendessem o que se lia. Neemias 8.5-8 Almeida Revista e Atualizada.”

“Esdras abriu o livro diante de todo o povo, e todos podiam vê-lo, porque estava num lugar mais alto. E, quando ele abriu o livro, o povo todo se levantou. Então Esdras louvou o Senhor, o grande Deus, e todo o povo levantou as mãos para o céu e disse: Amém! Amem!. Depois eles se inclinaram e adoraram o Senhor com os seus rostos no chão.
Esdras lia as palavras do livro; enquanto ele lia, os levitas Jesua, Bani, Serebias, Jamin, Acube, Sabetai, Hodias, Maaseias, Quelita, Azarias, Jozabade, Hanã e Pelaías iam por entre o povo e o instruíam acerca da Lei, e todos permaneciam ali. Eles leram o Livro da Lei de Deus, interpretando-o e explicando o que a passagem que estava sendo lida queria dizer. Neemias 8.5-8 – Bíblia Viva.”

NOTAS:

[1] Por “originais” fazemos referência à grande quantidade de manuscritos em hebraico, aramaico e grego que formam a base para as versões modernas da Bíblia Hebraica Stuttgartesia (Stuttgert: Deutsche Bibelgesellshaft, 5.ed melhorada de 1997) e do Novum Testamentum Graece (Stuttgart: Deutsche Bibelgesellchaft,27.ed.corrigida de 1998).
[2] Caso você se interesse em aprender um pouco mais sobre as traduções bíblicas e suas teorias leia o livro “A Arte de Interpretar e Comunicar a Palavra Escrita, Técnicas de Tradução da Bíblia” de John Beekman e John Callow – Ed.Vida Nova,1992.
[3] Guia Básico para a Interpretação da Bíblia - Interpretando conforme as regras – Robert H.Stein  - Ed. CPAD.
[4] Prefácio da Bíblia Viva, escrito pelo autor da mesma Kenneth Taylor.

Andrezinho rupereta

3 comentários:


  1. Muito bom este comentario.gostei

  1. Irmão, acho importante destacar também que a preocupação dos que condenam o uso da paráfrase também é devida com o uso que se faz dela com o Texto Crítico. As origens dessa fonte TC (texto crítico) que não foi utilizada na Reforma e que merece uma sincera analise quanto a sua credibilidade, somada ao método de interpretação por equivalência dinâmica realmente merece considerações. Eu particularmente achava que era besteira, mas após um estudo mais aprofundado achei as criticas dos batistas fundamentalistas extremamente válidas e adquiri uma ACF (Almeida Corrigida Fiel). Bom artigo, abs

  1. Principalmente na versão NTLH nãop mudam somente a palavra gordo, mas todo o sentido do verso. E na verdade quando leio e não entendo é melhor que eu procure entender ao invés de que outros simplesmente "traduzam" pra mim. E há também a questão financeira, quando se lançam PARÁFRASES, dizem ser Bíblias porque se dissessem não venderiam tanto, como por exemplo a A BIBLIA VIVA e A MENSAGEM.

Postar um comentário

Tecnologia do Blogger.